Processo de trabalho de auxiliares em saúde bucal em um município cearense

Autores

DOI:

https://doi.org/10.59483/rfpp.v3n3.85

Palavras-chave:

Saúde bucal, Educação em saúde

Resumo

O estudo desenvolveu uma investigação das percepções dos Auxiliares em Saúde Bucal (ASB) acerca do processo de trabalho na Rede de Atenção à Saúde. Trata-se de pesquisa qualitativa, exploratória e descritiva, com participação de ASB vinculados à atenção primária em saúde do município de Nova Russas-CE. O estudo foi realizado por meio de entrevista motivacional em grupo. Para se compreender toda a dimensão do objeto, optou-se por oficinas que aprofundassem no mundo dos significados das ações e relações humanas, ou seja, por meio da Educação Permanente. Como resultado, houve uma caracterização ampla do processo de trabalho em saúde desses ASB. A equipe de produção do cuidado em saúde bucal apresentou-se segregada em diversos relatos com relação aos demais profissionais que compõem o contexto da atenção primária em saúde. Não sendo apenas culpa dessa equipe, vislumbra-se um futuro com maior integração entre as diversas áreas no planejamento e realização das ações de saúde no território, o que irá beneficiar diretamente os usuários do Sistema Único de Saúde.

Biografia do Autor

Ermano Batista da Costa, Secretaria de Saúde de Nova Russas

Mestre em Clínicas Odontológicas Integrada pela Faculdade São Leopoldo Mandic, cirurgião-dentista pela Secretaria de Saúde de Nova Russas-CE

Tainá Macedo do Vale, Secretaria Municipal de Saúde de Nova Russas-CE

Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília (UnB), cirurgiã-dentista pela Secretaria Saúde de Nova Russas-CE

Antônio Rodrigues Ferreira Júnior, Universidade Estadual do Ceará

Doutor em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Professor adjunto em Enfermagem da UECE

Referências

Carreiro DL et al. Acesso aos serviços odontológicos e fatores associados: estudo populacional domiciliar. Ciência & Saúde Coletiva [online]. 2019; 24(3): 1021-1032. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/1413-81232018243.04272017>. [Acesso em 2023 jun 23].

Ferreira ED, Amorim HP, Matias JV, Dande GC. Inclusão da Odontologia no Programa Saúde da Família (PSF). R Odontol Planal Cent. 2014; 4(1): 40-44.

Matos EMO. A importância da atuação do Cirurgião-Dentista na Atenção Básica no Sistema Único de Saúde (SUS): uma revisão bibliográfica. Brazilian Journal of health Review. 2020; 3(3): 4383-4395.

Nascimento AC, Moysés ST, Werneck RI, Moysés SJ. Oral health in the context of primary care in Brazil. Int Dent J. 2013; 63(5): 237-43. Doi: 10.1111/idj.12039.

Warmling CM, Cipriani CR, Pires FS. Perfil de auxiliares e técnicos em saúde bucal que atuam no sistema único de saúde Rev. APS. 2016; 19(4): 592 – 601.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação em Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.

Faquim JPS, Carnut L. Pessoal auxiliar em odontologia: a trajetória regulamentar da profissão de técnico em saúde bucal (1975-2008). J Manag Prim Health Care. 2012; 3(2): 202-207.

Tomazevic JM. Componente educativo na formação e prática do pessoal auxiliar odontológico [Dissertação de Mestrado] São Paulo: Faculdade de Odontologia da USP; 2005.

Narvai PC. Recursos humanos para promoção de saúde bucal: Um Olhar no início do século XXI. In: Araújo ME. Organizadora. Odontologia em Saúde Coletiva: manual do aluno. São Paulo; 2003. p. 68-93.

Brasil. Lei nº 11.889 de 24 de dezembro de 2008. Regulamenta o exercício das profissões de Técnico em Saúde Bucal - TSB e de Auxiliar em Saúde Bucal - ASB. Diário Oficial da União 2008; 26 dez.

Pucca J. A política nacional de saúde como demanda social. Cienc Saude Colet. 2006; 11(1): 243-246.

Narvai PC. Avanços e desafios da Política Nacional de Saúde Bucal no Brasil. Rev Tempus Actas de Saúde Colet. 2009; 5(3): 21-34.

Minayo MCS. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: Minayo MCS. et al (Orgs.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 23º ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes; 2004. p. 9-29.

Brasil. Portaria de consolidação Nº 2, de 28 de setembro de 2017. Consolidação das normas sobre as políticas nacionais de saúde do Sistema Único de Saúde. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prc0002_03_10_2017.html. [Acesso em 2017a jun 20].

Candau VM. Oficinas pedagógicas de direitos humanos. 2ª ed. Petrópolis, RJ : Vozes; 1995.

Sampaio MRV et al. Nova Russas, minha terra, 90 anos de história. Revista Arte Agosto. 2012; 1(1).

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Datasus. Informações de Saúde. [Acesso 2017b jun 21]. Disponível em: http://www.datasus.gov.br.

Brasil. Ministério da Saúde. Banco de Dados do Sistema Único de Saúde- DATASUS. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Atenção à Saúde- CNES - Extração de dados de profissional. Disponível em: http://www.datasus.gov.br. [Acesso em 2021 jul 19].

Backer P. Gestão ambiental: A administração verde. Rio de Janeiro: Qualitymark; 2005.

Figlie NB, Guimarães LP. A Entrevista Motivacional: conversas sobre mudança. Bol. Acad. Paul. Psicol. 2014; 34(87).

Nascimento LG, Melo W, Silva MV. Oficinas de intervenção psicossocial com agentes comunitários de saúde: reflexões e intervenções dialogadas. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2014; 9(33): 336-34.

Bardin L. Análise de conteúdo, Trad. Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro, Lisboa: Edições 70 (Persona Psicologia); 2002.

Triviños ANS. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação, São Paulo: Atlas; 1987.

Baumgarten A, Veiga RS, Bulgarelli PT, Diesel VM, Bulgarelli AF. Perceptions of primary health care service users regarding dental team practices in Brazil. Prim Health Care Res Dev. 2018; 19(3): 309-315. Doi: 10.1017/S1463423617000639.

Martins BP, Uchida TH, Terada RSS et al. Percepção dos Técnicos em Saúde Bucal sobre Educação em Saúde: uma análise qualitativa. Arch Health Invest. 2015; 4(5): 28-35.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Brasil. Ministério da Saúde. Cadernos da atenção básica nº 17: Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Faccin D, Sebold R, Carcereri DL. Processo de trabalho em saúde bucal: em busca de diferentes olhares para compreender e transformar a realidade. Cien Saude Colet. 2010; 15(1): 1643-52.

Florio FM et al . Work process of an oral health team according to the dentists. Rev. Gaúch. Odontol. 2017; 65(4): 344-351. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-86372017000400344&lng=pt&nrm=iso [Acesso em 2021 abr 17].

Lourenco EC et al . A inserção de equipes de saúde bucal no Programa Saúde da Família no Estado de Minas Gerais. Rio de Janeiro. Cien Saude Colet. 2009; 14 (1):1367-1377. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232009000800009&lng=en&nrm=iso>. [Acesso em 2022 out 7].

Austregésilo SC, Leal MC, Figueiredo N, Góes PS. The Interface between Primary Care and Emergency Dental Services (SOU) in the SUS: the interface between levels of care in oral health. Cien Saude Colet. 2015; 20(10): 3111-3120. Doi: 10.1590/1413-812320152010.12712014.

Mattos GC et al . A inclusão da equipe de saúde bucal na Estratégia Saúde da Família: entraves, avanços e desafios. Cien Saude Colet. 2014; 19(2): 373-382. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232014000200373&lng=pt&nrm=iso [Acesso em 2022 mar 03].

Farias MR, Sampaio JJC. Papel do cirurgião-dentista na equipe de saúde da família. Reve Gaúcha Odontol. 2011; 59(1): 109-115.

Esposti CDD et al. O processo de trabalho do técnico em saúde bucal e suas relações com a equipe de saúde bucal na Região Metropolitana da Grande Vitória, Espírito Santo, Brasil. Saude soc. 2012; 21(2):372-385. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902012000200011&lng=en&nrm=iso [Acesso em 2020 out 08].

Silva VR, Medeiros MR. Conselhos municipais de assistência social: história, fragilidades e possibilidades. Argumentum. 2010; 2(2): 163-73.

Busana JA, Heidemann ITSB, Wendhausen ALP. Participação popular em um conselho local de saúde: limites e potencialidades. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2015; 24(2): 442-449. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072015000200442&lng=en&nrm=iso. [Acesso em 2020 out 11]. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-07072015000702014

Costa EB, Carneiro JDB, Oliveira AMG. Satisfação dos usuários assistidos em quatro centros regionais de especialidades odontológicas do Ceará, Brasil. Saúde debate [Internet]. 2018; 42(118): 631-645. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042018000300631&lng=en. [Acesso em 2022 out 14].

Linan MBG, Bruno LENB. Trabalho e formação profissional do atendente de consultório dentário e do técnico em higiene dental. Trab. educ. saúde. 2007; 5(2): 327-366. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462007000200007&lng=en&nrm=iso>. [Acesso em 2020 out 8].

Downloads

Publicado

27-09-2023

Como Citar

1.
Batista da Costa E, Macedo do Vale T, Ferreira Júnior AR. Processo de trabalho de auxiliares em saúde bucal em um município cearense. RFPP [Internet]. 27º de setembro de 2023 [citado 25º de junho de 2024];3(3). Disponível em: https://revistadeodontologia.facpp.edu.br/index.php/rfpp/article/view/85

Edição

Seção

Artigos