Revista da Faculdade Paulo Picanço https://revistadeodontologia.facpp.edu.br/index.php/rfpp <p>A Revista da Faculdade Paulo Picanço (RFPP) tem por objetivo disponibilizar artigos científicos de interesse para as áreas da Odontologia, Enfermagem e Psicologia, a fim de promover acesso gratuito e universal ao conhecimento científico.</p> <p>As submissões de trabalhos são recebidas em fluxo contínuo.</p> <p>ISSN 2764-6289</p> Faculdade Paulo Picanço pt-BR Revista da Faculdade Paulo Picanço 2764-6289 <p>Esta licença permite que outros remixem, ajustem e desenvolvam seu trabalho de forma não comercial, desde que creditem a autoria e licenciem suas novas criações sob os mesmos termos.</p> Causas do agravamento da doença periodontal em pacientes diabéticos https://revistadeodontologia.facpp.edu.br/index.php/rfpp/article/view/35 <p>O diabetes mellitus é uma síndrome metabólica heterogênea de natureza crônica e irreversível, caracterizada pelo constante alto nível da glicose na corrente sanguínea, principalmente, no caso de descompensação da doença. Tal descontrole resulta em problemas sistêmicos, desde a imunossupressão até a alteração do processo de cicatrização. O diabetes descompensado é responsável por inúmeras ocorrências bucais, desde as mais simples até as mais complexas, atingindo o elemento dentário até o periodonto. Desta forma, faz-se necessário o acompanhamento do diabético no âmbito odontológico. O objetivo do presente trabalho é compreender as causas do agravamento da doença periodontal no paciente diabético. Foi realizada uma revisão de literatura, a partir das bases de dados LILACS e Scielo Brasil, onde recuperamos e analisamos 12 documentos, incluindo artigos e trabalhos de conclusão de curso. Por meio do estudo, pôde-se chegar à conclusão sobre a influência direta bidirecional entre a doença periodontal e o Diabetes Mellitus, sendo uma doença diretamente responsável pelo surgimento e/ou agravamento da outra, razão pela qual ambas devem ser tratadas por uma equipe multiprofissional, incluindo o cirurgião-dentista.</p> Antônio Madeiro de Lucena Filho Hamilton Rodrigues Tabosa Copyright (c) 2022 Licença: Atribuição - Não Comercial - Compartilha Igual (CC BY-NC-SA) https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2023-01-31 2023-01-31 2 4 A importância do suporte odontológico em pacientes sob terapia oncológica https://revistadeodontologia.facpp.edu.br/index.php/rfpp/article/view/53 <p>O câncer de boca representa um desafio para a saúde pública mundial, uma vez que figura entre os tumores malignos mais frequentes em humanos. A maioria dos casos da doença são detectados em fase avançada, o que dificulta seu tratamento e impacta diretamente no prognóstico. O diagnóstico precoce do câncer favorece maiores possibilidades de cura da doença e aumento nas taxas de sobrevida. A ausência de sintomatologia na fase inicial, a falta de preparo de alguns cirurgiões dentistas em diagnosticar o problema, o medo dos pacientes e o preconceito da população leiga e a falta de informação e acesso facilitado ao sistema de saúde do estado, são fatores que podem estar associados ao diagnóstico tardio da doença. O cirurgião dentista exerce um papel primordial na prevenção do câncer de boca, principalmente quando atua nos níveis de prevenção primária e secundária, ao propor ações que facilitam o reconhecimento dos indivíduos pertencentes ao grupo de risco, ao realizar práticas que busquem diagnosticar precocemente as lesões suspeitas e a tratar as consequências causadas pelo tratamento radioterápico e quimioterápico. O objetivo deste estudo é o de descrever um caso clínico de um paciente em tratamento oncológico de um carcinoma espinocelular (CEC) originado na região posterior da orofaringe, realizando uma análise sobre a importância do suporte do profissional cirurgião dentista em promover o diagnóstico precoce e a prevenção do câncer de boca, bem como a necessidade de incentivar os profissionais da área, a se aperfeiçoar para adquirir novas práticas de atenção nos consultórios, agindo de forma a promover o maior número de diagnósticos precoces em sua prática diária.</p> Elaine Moreira Cordeiro de Araújo Juscelino de Freitas Jardim Copyright (c) 2023 Licença: Atribuição - Não Comercial - Compartilha Igual (CC BY-NC-SA) https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2023-01-31 2023-01-31 2 4 O uso da fibrina rica em plaquetas no tratamento regenerativo de polpas necrosadas em dentes com rizogênese incompleta https://revistadeodontologia.facpp.edu.br/index.php/rfpp/article/view/54 <p><strong> <span class="fontstyle0">Introdução</span></strong><span class="fontstyle1">: A necrose da polpa dentária antes da conclusão da formação da raiz pode ocasionar raiz curta, ápice largo e paredes radiculares delgadas. Um tratamento endodôntico é necessário e tem como propósito controlar a infecção e criar condições para uma vedação apical apropriada. Novos métodos terapêuticos têm ganhado espaço na clínica odontológica ao longo dos anos. Tratamentos conservadores e o surgimento de materiais biologicamente ativos têm ganhado espaço no tratamento de dentes jovens, nesse contexto, destaca-se o plasma rico em fibrina (PRF), que dentre outras funções, atua na liberação de fatores de<br>crescimento, que permitem a continuidade da formação radicular pelo estímulo biológico promovido às células-tronco remanescentes. Esse processo é baseado na otimização da regeneração tecidual através da inserção da membrana de fibrina.<br></span><strong><span class="fontstyle0">Objetivo</span></strong><span class="fontstyle1">: Realizar uma revisão sistemática sobre o uso da fibrina rica em plaquetas no tratamento regenerativo de polpas necrosadas com rizogênese incompleta. </span><strong><span class="fontstyle0">Métodos</span></strong><span class="fontstyle1">: A estratégia de busca foi realizada a partir da base de dados MEDLINE<br>(via PubMed). </span><span class="fontstyle0">Resultados</span><span class="fontstyle1">: Ficou evidente que o uso do PRF trouxe resultados promissores. Embora, fatores como idade, concentrações de soluções irrigadoras <span class="fontstyle0">e o tempo pós-operatório possam contribuir para o sucesso do tratamento endodôntico regenerativo. </span><strong><span class="fontstyle2">Conclusão</span></strong><span class="fontstyle0">: Observou-se que o uso do PRF alcançou os resultados positivos, com sinais clínicos evidentes de resolução dos sintomas, cicatrização da lesão periapical e desenvolvimento da raiz.</span></span></p> Francisco Daniel das Neves Martins Thereza Christina Farias Botelho Dantas Copyright (c) 2023 Licença: Atribuição - Não Comercial - Compartilha Igual (CC BY-NC-SA) https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2023-01-31 2023-01-31 2 4 A Palhaçoterapia como prática integrativa ao cuidado do paciente oncopediátrico https://revistadeodontologia.facpp.edu.br/index.php/rfpp/article/view/55 <p><strong> <span class="fontstyle0">Introdução</span></strong><span class="fontstyle1">: O processo saúde-doença envolvendo o câncer desencadeia uma série de mudanças biopsicossociais que necessitam de uma assistência mais humanizada para o binômio paciente-família. No que se refere à Oncopediatria, a palhaçoterapia é uma prática integrativa muito eficaz para este público específico, melhorando a qualidade de vida infantil e a estadia no âmbito hospitalar. </span><strong><span class="fontstyle0">Objetivo</span></strong><span class="fontstyle1">: Analisar o impacto da utilização da palhaçoterapia como prática integrativa ao cuidado do paciente oncopediátrico. </span><strong><span class="fontstyle0">Materiais e métodos</span></strong><span class="fontstyle1">: Trata-se de uma revisão integrativa de literatura, com uma abordagem do tipo qualitativa, em que artigos científicos foram pesquisados a partir das plataformas de dados Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), SCIELO e PubMed via Medline, utilizando-se os descritores “Oncologia”, “Oncologia Pediátrica”, "Palhaçoterapia" e "Humanização da Assistência”. </span><span class="fontstyle0"><strong>Resultados</strong>: </span><span class="fontstyle1">Os estudos analisados mostram que o processo de hospitalização em pacientes oncopediátricos é marcado por experiências traumáticas, uma vez que, além das alterações biopsicossociais desencadeadas pelo processo saúde-doença, envolve a ideia de finitude precoce da vida. Nesse aspecto, evidenciou-se a eficácia da plalhaçoterapia no tratamento oncológico de crianças, uma vez quese utiliza de ações lúdicas e divertidas como ferramenta para alívio da dor eredução do estresse no ambiente hospitalar, contribuindo, assim, com umaassistência humana e efetiva, capaz de melhorar a qualidade de vida do binômiopaciente-família. </span><span class="fontstyle0"><strong>Conclusão</strong>: </span><span class="fontstyle1">A palhaçoterapia surge como uma práticaintegrativa capaz de humanizar a assistência ao paciente oncopediátrico, <span class="fontstyle0">reduzindo o estresse decorrente do tratamento e melhorando a qualidade de vidado binômio paciente-família.</span></span></p> Rosana Solon Tajra Ana Alice Batista Rodrigues Antônia Mayara Alves Costa Nilciany Oliveira dos Santos Maria Thomázia de Carvalho Magalhães Gabriela dos Santos Albuquerque Copyright (c) 2023 Licença: Atribuição - Não Comercial - Compartilha Igual (CC BY-NC-SA) https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2023-01-31 2023-01-31 2 4 Risco de fratura mandibular durante exodontia de terceiro molar https://revistadeodontologia.facpp.edu.br/index.php/rfpp/article/view/56 <p><span class="fontstyle0">Os terceiros molares inferiores apresentam maior prevalência de inclusão. Quando indicada, a exodontia desses dentes pode resultar em acidentes e complicações, como a fratura mandibular. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é apresentar um caso clínico de exodontia do terceiro molar com risco de fratura mandibular, expondo medidas preventivas e métodos de tratamento. Para melhor análise desta pesquisa, foi feito um relato de caso de um paciente do sexo masculino, 21 anos, apresentava segundos e terceiros molares inferiores impactados, sendo os dentes 37 e 38 localizados na base da mandíbula, abaixo do nervo alveolar inferior. Para a extração, uma grande área de desgaste ósseo seria feito, com isso, um acidente de fratura mandibular poderia ocorrer. Por isso, foi optado por realizar a extração sob anestesia geral em ambiente hospitalar, pois, se houvesse a fratura, teria como reduzir e fixá-la. O procedimento foi realizado sem intercorrência, entretanto, era possível se ter uma complicação de<br>fratura mandibular no pós-operatório, devido a algum trauma, posto que a mandíbula ficou muito fragilizada. Para se evitar essa complicação, optou-se por realizar a técnica de Champy, instalação de uma placa na linha oblíqua externa. Paciente evoluiu com uma parestesia transitória durante 3 meses, após esse período, houve o retorno sensível total dos nervos alveolar inferior e mentual, não sendo observada nenhum déficit funcional. Paciente encontra-se em ótima recuperação. Nesse contexto, destaca-se que as complicações em exodontias são sempre um fator que se deve ponderar ao planejar uma cirurgia. Nesse caso, utilizou-se uma técnica para prevenir uma fratura mandibular durante o pósoperatório, devido à grande fragilidade mandibular na ostectomia cirúrgica.</span> </p> Maria Clara Rodrigues Chaves Radamés Bezerra Melo Copyright (c) 2023 Licença: Atribuição - Não Comercial - Compartilha Igual (CC BY-NC-SA) https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2023-01-31 2023-01-31 2 4