Autopercepção da qualidade de vida de pessoas com HIV com comprometimento cognitivo

Autores

  • Vitor Alves Sarralheiro Universidade São Judas Tadeu
  • Maria Rita Polo Gascón

DOI:

https://doi.org/10.59483/rfpp.v3n2.70

Palavras-chave:

HIV, Qualidade de vida, Whoqol-hiv-bref, Ansiedade, Depressão

Resumo

O vírus da imunodeficiência humana (HIV-1) afeta vários órgãos e sistemas do corpo humano, sendo o sistema nervoso central um dos mais afetados. Vários impactos podem ser observados nos domínios ambientais, sociais, físicos, psicológicos, espirituais e níveis de dependência, que agem diretamente na percepção que o indivíduo pode ter na qualidade de vida (QV). O objetivo deste estudo é investigar a percepção da qualidade de vida de pessoas que vivem com HIV com comprometimento cognitivo a partir de um delineamento transversal, em pacientes infectados pelo vírus HIV-1, em segmento no Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Foram utilizados como instrumentos de pesquisa, um questionário sociodemográfico, a Escala de Ansiedade e Depressão Hospitalar e o instrumento da Organização Mundial de Saúde Whoqol-HIV-Bref, com versão brasileira abreviada do instrumento completo (120 itens). Para análise estatística foi realizada média, frequência e desvio padrão, testes chi-quadrado, Anova e Post-Hoc, utilizando como parâmetro p<0.05. Foram avaliados 575 participantes voluntários de ambos os sexos. A análise dos dados mostrou que os participantes com comprometimento cognitivo (MND e HAD) apresentaram pior percepção da qualidade de vida em todos os domínios avaliados e os participantes com formas mais graves, apresentaram altos índices de ansiedade e depressão. Este estudo identificou que a compreensão individual dos domínios da QV está intimamente relacionada com as taxas da HAND em PVHIV e que o tema possui grande importância para que futuras pesquisas sejam realizadas com essa população, uma vez que não possuem muitos estudos realizados que envolvam as temáticas QV e HAND.

Referências

Silvany, Sarah Moura. Prevalência e fatores associados às alterações neurocognitivas em adultos infectados com HIV-1 via transmissão vertical [dissertation]. São Paulo: University of São Paulo, Faculdade de Medicina; 2018. doi:10.11606/D.5.2019.tde-04072019-081734.

Neto CM, Pires EMC, de Souto Brito C, Beserra OLMG, Junior JFS, Mota JV, et al. Qualidade de vida no contexto de pacientes com HIV/AIDS: um estudo comparativo. Saúde e pesquisa. 2019;12(2):333–41. https://doi.org/10.17765/2176-9206.2019v12n2p333-341

Silveira MF, Ferreira AC, Brito MFSF, Pinho L de, Teixeira AL, Carneiro M. Propriedades psicométricas do WHOQOL-HIV Bref para avaliação da qualidade de vida. Psico-USF. 2019;24:475–87. https://doi.org/10.1590/1413-82712019240306

Brasil. Ministério da Saúde. Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde | Ministério da Saúde Boletim Epidemiológico. 2021. https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/boletins/epidemiologicos/especiais/2021/boletim-epidemiologico-especial-hiv-aids-2021.pdf/view

Duarte EAC. Avaliação intra-hospitalar da prevalência de alterações cognitivas em pacientes HIV positivos e fatores associados. Medicina-Pedra Branca. 2019; https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/9420

Clifford DB. HIV-associated neurocognitive disorders: epidemiology, clinical manifestations, and diagnosis. Uptodate Retrieved January. 2020;10:2021. https://www.medilib.ir/uptodate/show/3723

Lima MCC. Prevalência de alterações neurocognitivas associadas ao HIV em uma coorte aderente ao antirretroviral em um hospital geral na cidade de São Paulo. São Paulo: Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo. 2017; doi:10.11606/D.5.2018.tde-03012018-115244.

Pimentel GS. Qualidade de vida em indivíduos iniciando a terapia antirretroviral utilizando esquemas de primeira linha. 2019; http://hdl.handle.net/1843/33773

Tsegaw M, Andargie G, Alem G, Tareke M. Screening HIV-associated neurocognitive disorders (HAND) among HIV positive patients attending antiretroviral therapy in South Wollo, Ethiopia. J Psychiatr Res. 2017;85:37–41. https://doi.org/10.1016/j.jpsychires.2016.10.016

Brandão BML da S, Silva AMB da, Souto RQ, Alves FAP, Araújo GKN de, Jardim VCF da S, et al. Relação da cognição e qualidade de vida entre idosos comunitários: estudo transversal. Rev Bras Enferm. 2020;73. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2019-0030

da Silva JAC, de Souza LEA, Ganassoli C. Qualidade de vida na terceira idade. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica. 2017;15(3):146–9. http://www.sbcm.org.br/ojs3/index.php/rsbcm/article/view/283

Jesus GJ de, Oliveira LB de, Caliari J de S, Queiroz AAFL, Gir E, Reis RK. Dificuldades do viver com HIV/Aids: Entraves na qualidade de vida. Acta Paulista de Enfermagem. 2017;30:301–7. https://doi.org/10.1590/1982-0194201700046

Canavarro MC, Pereira M. Avaliação da qualidade de vida na infecção por VIH/SIDA: Desenvolvimento e aplicação da versão em Português Europeu do WHOQOL-HIV-Bref. Laboratório de Psicologia. 2011;9:49–66. http://hdl.handle.net/10400.12/3452

Marques SC, de Oliveira DC, Cecilio HPM, Silva CP, Sampaio LA, da Silva VXP. Avaliação da qualidade de vida de pessoas vivendo com HIV/AIDS: revisão integrativa [Evaluating the quality of life of people living with HIV/AIDS: integrative review][Evaluación de la calidad de vida de personas que viven con VIH/SIDA: revisión integradora]. Revista Enfermagem UERJ. 2020;28:39144. https://doi.org/10.12957/reuerj.2020.39144

Cortez PR, Castro R, Grinsztejn B, Velasque L, Veloso V, Boni R de, et al. Qualidade de vida em pessoas vivendo com HIV/AIDS: aplicação das escalas WHOQOL BREF HIV e WHOQOL OLD. 2018; https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/38620

ZIMPEL, R.; FLECK, M. Instrumento WHOQOL. Manual do usuário. Saúde Mental pesquisa e evidência. Departamento de saúde mental e dependência química da OMS. 2005.

Botega NJ, Bio MR, Zomignani MA, Garcia Jr C, Pereira WAB. Transtornos do humor em enfermaria de clínica médica e validação de escala de medida (HAD) de ansiedade e depressão. Rev Saude Publica. 1995;29:359–63. https://doi.org/10.1590/S0034-89101995000500004

OLO ABAR, ANI L, LAZARINI GS, DOMINGUES B. TÍTULO: DIS ANCIAMEN O SOCIAL: ANÁLISE DA ANSIEDADE NA POPULAÇÃO. https://www.conic-semesp.org.br/anais/files/2020/trabalho-1000005498.pdf

Zigmond AS, Snaith RP. The hospital anxiety and depression scale. Acta Psychiatr Scand. 1983;67(6):361–70. https://doi.org/10.1111/j.1600-0447.1983.tb09716.x

Hipolito RL, Oliveira DC de, Costa TL da, Marques SC, Pereira ER, Gomes AMT. Quality of life of people living with HIV/AIDS: temporal, socio-demographic and perceived health relationship1. Rev Lat Am Enfermagem. 2017;25. https://doi.org/10.1590/1518-8345.1258.2874

Fernandes Filho SMM, de Melo HRL. Frequency and risk factors for HIV-associated neurocognitive disorder and depression in older individuals with HIV in northeastern Brazil. Int Psychogeriatr. 2012;24(10):1648–55. https://doi.org/10.1017/S1041610212000944

Oliveira JF de, Greco DB, Oliveira GC, Christo PP, Guimarães MDC, Oliveira RC. Neurological disease in HIV-infected patients in the era of highly active antiretroviral treatment: a Brazilian experience. Rev Soc Bras Med Trop. 2006;39:146–51. https://doi.org/10.1590/S0037-86822006000200002

Prado M, Nazario S, Silva VHT, Martinho ACDO, Bergamim JSSP. Déficit cognitivo em idosos hospitalizados segundo Mini Exame do Estado Mental (MEEM): Revisão narrativa. Journal of Health Sciences. 2018;20(2):131–4. https://doi.org/10.17921/2447-8938.2018v20n2p131-134

Abreu BH. Alterações metabólicas associadas ao declínio cognitivo e neurodegeneração no cérebro diabético. 2020. https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/219074

Santos V da F, Galvão MTG, Cunha GH da, Lima ICV de, Gir E. Efeito do álcool em pessoas com HIV: tratamento e qualidade de vida. Acta Paulista de Enfermagem. 2017;30:94–100. https://doi.org/10.1590/1982-0194201700014

Leite A de OF, Ferreira AL, Seling B, Mello J, Vieira M, Portuguez MW. Cognição, aspectos psicológicos e qualidade de vida em idosos com Comprometimento Cognitivo Leve. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. 2016;21(2). https://doi.org/10.22456/2316-2171.60647

Burlacu R, Umlauf A, Anca L, Gianella S, Radoi R, Marcotte TD, et al. Sex based differences in neurocognitive functioning in HIV infected young adults. AIDS. 2018;32(2):217. https://doi.org/10.1097%2FQAD.0000000000001687

Pimentel GS, Ceccato M das GB, Costa J de O, Mendes JC, Bonolo P de F, Silveira MR. Qualidade de vida em indivíduos iniciando a terapia antirretroviral: um estudo de coorte. Rev Saude Publica. 2020;54. https://doi.org/10.11606/s1518-8787.2020054001920

Soares MN, Silva CC, de Brito Guimaraes IR, Correa JME. Fatores que influenciam a qualidade de vida de portadores do vírus HIV: uma revisão de literatura. Brazilian Journal of Health Review. 2019;2(6):5208–16. https://doi.org/10.34119/bjhrv2n6-025.

Reis, Renata Karina. Qualidade de vida de portadores do HIV/AIDS: influência dos fatores demográficos, clínicos e psicossociais [tese]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto; 2008. doi:10.11606/T.22.2008.tde-06102008-141759.

Gaspar J, Reis RK, Pereira FMV, Neves LA de S, Castrighini C de C, Gir E. Qualidade de vida de mulheres vivendo com o HIV/aids de um município do interior paulista. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 2011;45:230–6. https://doi.org/10.1590/S0080-62342011000100032

Cruz EFB. Fios da vida: tecendo o feminino em tempos de AIDS. 2002; http://www.aids.gov.br/final/biblioteca/fios_vid/fios1.htm

KLEIN JDB. QUALIDADE DE VIDA EM PESSOAS VIVENDO COM HIV EM NOVA FRIBURGO/RJ. 2019; https://app.uff.br/riuff/handle/1/12616

Inácio AS. Qualidade de vida de pessoas vivendo com HIV/AIDS: avaliação à luz da perceptiva de saúde. 2018; http://repositorioinstitucional.uea.edu.br/handle/riuea/1020

Rodrigues JA, Silva LHF da, Albuquerque SGE de, Nogueira JDA, Anjos UU dos, Nascimento JA do. Fatores contribuintes da vulnerabilidade individual dos jovens ao HIV. Rev bras ciênc Saúde. 2016;20(2):141–8. DOI:10.4034/RBCS.2016.20.02.08

Wandera B, Tumwesigye NM, Nankabirwa JI, Kambugu AD, Parkes-Ratanshi R, Mafigiri DK, et al. Alcohol consumption among HIV-infected persons in a large urban HIV clinic in Kampala Uganda: a constellation of harmful behaviors. PLoS One. 2015;10(5):e0126236. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0126236

Souza Junior PRB de, Szwarcwald CL, Castilho EA de. Autoavaliação do estado de saúde por indivíduos infectados pelo HIV em terapia antirretroviral no Brasil. Cad Saude Publica. 2011;27:s56–66. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2011001300007

da Silva Arruda AC, Coutinho DJG. Risco para depressão entre pacientes convivendo com HIV-AIDS. Revista Eletrônica Acervo Saúde. 2021;13(4):e6908–e6908. https://doi.org/10.25248/reas.e6908.2021

Downloads

Publicado

26-06-2023

Como Citar

1.
Sarralheiro VA, Gascón MRP. Autopercepção da qualidade de vida de pessoas com HIV com comprometimento cognitivo. RFPP [Internet]. 26º de junho de 2023 [citado 19º de julho de 2024];3(2). Disponível em: https://revistadeodontologia.facpp.edu.br/index.php/rfpp/article/view/70

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)