A Palhaçoterapia como prática integrativa ao cuidado do paciente oncopediátrico

Autores

  • Rosana Solon Tajra
  • Ana Alice Batista Rodrigues
  • Antônia Mayara Alves Costa
  • Nilciany Oliveira dos Santos
  • Maria Thomázia de Carvalho Magalhães
  • Gabriela dos Santos Albuquerque

DOI:

https://doi.org/10.59483/rfpp.v2n4.55

Palavras-chave:

Oncologia, Oncologia pediátrica, Palhaçoterapia, Humanização da assistência

Resumo

Introdução: O processo saúde-doença envolvendo o câncer desencadeia uma série de mudanças biopsicossociais que necessitam de uma assistência mais humanizada para o binômio paciente-família. No que se refere à Oncopediatria, a palhaçoterapia é uma prática integrativa muito eficaz para este público específico, melhorando a qualidade de vida infantil e a estadia no âmbito hospitalar. Objetivo: Analisar o impacto da utilização da palhaçoterapia como prática integrativa ao cuidado do paciente oncopediátrico. Materiais e métodos: Trata-se de uma revisão integrativa de literatura, com uma abordagem do tipo qualitativa, em que artigos científicos foram pesquisados a partir das plataformas de dados Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), SCIELO e PubMed via Medline, utilizando-se os descritores “Oncologia”, “Oncologia Pediátrica”, "Palhaçoterapia" e "Humanização da Assistência”. Resultados: Os estudos analisados mostram que o processo de hospitalização em pacientes oncopediátricos é marcado por experiências traumáticas, uma vez que, além das alterações biopsicossociais desencadeadas pelo processo saúde-doença, envolve a ideia de finitude precoce da vida. Nesse aspecto, evidenciou-se a eficácia da plalhaçoterapia no tratamento oncológico de crianças, uma vez quese utiliza de ações lúdicas e divertidas como ferramenta para alívio da dor eredução do estresse no ambiente hospitalar, contribuindo, assim, com umaassistência humana e efetiva, capaz de melhorar a qualidade de vida do binômiopaciente-família. Conclusão: A palhaçoterapia surge como uma práticaintegrativa capaz de humanizar a assistência ao paciente oncopediátrico, reduzindo o estresse decorrente do tratamento e melhorando a qualidade de vidado binômio paciente-família.

Biografia do Autor

Rosana Solon Tajra

Orientadora/Docente do curso de Enfermagem da Universidade Estadual Valedo Acaraú (UVA), Sobral, Ceará.

Ana Alice Batista Rodrigues

Graduanda em Enfermagem pela
Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA, Sobral, Ceará

Antônia Mayara Alves Costa

Graduanda em Enfermagem pela Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA, Sobral, Ceará

Nilciany Oliveira dos Santos

Graduanda em Enfermagem pela Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA, Sobral, Ceará

Maria Thomázia de Carvalho Magalhães

Graduanda em Enfermagem pela Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA, Sobral, Ceará

Gabriela dos Santos Albuquerque

Graduanda em História pela Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA, Sobral, Ceará

Referências

Santos BEF, Braga EGS, Neto SMS, Santos VG. Os benefícios da palhaçoterapia na formação médica: Uma percepção de discentes de medicina da Universidade Federal do Amapá. Revista Científica Multidisciplinar do Núcleo do Conhecimento [internet]. 2005 [Acesso em 09 ago. 2022]; 1(2): 177- 85. Disponível em: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/saude/beneficios-dapalhacoterapia

Catapan SDEC, Oliveira WF, Rotta TM. Palhaçoterapia em ambiente hospitalar: uma revisão de literatura. Ciência & Saúde Coletiva [internet]. Set. 2019 [Acesso em 9 ago. 2022]; 24(9): 3417– 29. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/fRb4SqQcHZ4MzTDNF4SD68z/?lang=pt.

Dib RV, Gomes AMT, Ramos RS, França LCM, Paes LS, Fleury MLO. Pacientes com Câncer e suas Representações Sociais sobre a doença: Impactos e Enfrentamentos do Diagnóstico. Revista Brasileira de Cancerologia [internet]. 2022 [Acesso em 10 ago. 2022]; 68(3): e-061935. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/1935/1952.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Ministério da Saúde. Estimativa 2020: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA, 2019.

Júnior ET. Práticas integrativas e complementares em saúde, uma nova eficácia para o SUS. Estudos Avançados [internet]. 2016 [Acesso em 11 ago. de 2022]; 30(86): 99-112. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ea/a/gRhPHsV58g3RrGgJYHJQVTn/?format=pdf&lang=pt

Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva. Ministério da Saúde. ABC do Câncer: Abordagens Básicas para o Controle do Câncer. 6. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: INCA. 2020.

Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva. Ministério da Saúde. Câncer infantojuvenil. INCA [Site]. 2022 [Acesso em 01 ago. 2022]. Rio de Janeiro. Disponível em: https://www.gov.br/inca/ptbr/assuntos/cancer/tipos/infantojuvenil.

Organização Pan-americana de Saúde. Iniciativa Global da OMS contra o câncer infantil: implementação na América Latina e no Caribe. OPAS [Site]. 2021 [Acesso em 02 ago. 2022]. Washington (DC). Disponível em: https://iris.paho.org/handle/10665.2/54416.

Corrêa FE, Alves MK. Quimioterapia: Efeitos Colaterais e Influência no Estado Nutricional de Pacientes Oncológicos. Uniciências [Internet]. 2018 [Acesso em 03 ago. 2022]; 22(2): 100-5. Disponível em: https://revista.pgsskroton.com/index.php/uniciencias/article/view/5958#:~:text=

Mostraram%2Dse%20os%20efeitos%20colaterais,teve%20perda%20de%20peso%20significativa.

Nunes MDR. Avaliação da fadiga em crianças e adolescentes hospitalizados com câncer e sua relação com o padrão de sono e qualidade de vida relacionada à saúde. São Paulo, 2014. [Tese - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo]. Acesso em: 06 de agosto de 2022. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-03022015-103612/publico/MICHELLEDAREZZORODRIGUESNUNES.pdf.

Martins PL, Azevedo CS, Afonso SBC. O papel da família nos planos de tratamento e no cuidado pediátrico hospitalar em condições crônicas complexas de saúde. Saúde Soc [internet]. 2018 [Acesso em 05 ago. 2022]; 27(4): p. 1218-29. São Paulo. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/sausoc/2018.v27n4/1218-1229/pt.

Magalhães DMA, Magalhães GA, Grigorovski N, Junior IF. Dinâmica da Implantação de Humanização no Serviço de Radioterapia Pediátrica do Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva, Brasil. Revista Brasileira de Cancerologia [Internet]. 2022 [Acesso em 04 ago. 2022]; 68(2); e-041662. Disponível em: https://docs.bvsalud.org/biblioref/2022/06/1371204/art4_parapublicar.pdf.

Espaço de Pesquisas Artísticas. Palhaçoterapia/Palhaçaria: uma pesquisa sobre a arte e a filosofia do palhaço. EPA [Site]; [s/d] [Acesso em 09 ago. 2022]. Disponível em: https://www.epa-arte.com/palhacoterapia-palhacaria/.

Nogueira W. Doutores da Alegria: O lado invisível da vida [S.I]. [Citado por Catapan SC, Oliveira WF, Rotta TM]. Ciências e Saúde Coletiva [Internet]. 2019 [Acesso em 09 ago. 2022]; 24(9): 3417-29. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/fRb4SqQcHZ4MzTDNF4SD68z/?format=pdf&lang=pt.

Diogonigi A, Flangini R, Gremigni P. Clowns in hospitals. In: Gremigni P. Humor and Health Promotion. Nova Science Publishers [Internet]. 2012 [Acesso em 09 ago. 2022]; 213-27. New Yourk. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/287762389_Clowns_in_hospitals.

Tan Júnior AK. A Qualitative Phenomenographical Study of the Experience of Parents with Children in Clown Care Services. Helsinki, Finlândia, 2014. [Thesis – Helsinki Metropolia University of Applied Sciences]. Acesso em: 10 de agosto de 2022. Disponível em: http://www.hospitalclown.com/pdf%20files/Research/Thesis%20Parents%20with%20Children%20in%20Clown%20Care%20-an_Amil%20Kusain%20Jr.pdf.

Paula Marques E, Garcia TMB, Anders JC, Luz JH, Rocha PK, Souza S. Lúdico no cuidado à criança e ao adolescente com câncer: perspectivas da equipe de enfermagem. Esc Anna Nery [Internet]. 2016 [Acesso em 14 ago. 2022]; 20(3): e20160073. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ean/a/WbpgJMTFHZHmxc7JnmXdg8p/?lang=pt&format=pdf#:~:text=H%C3%A1%20ainda%20de%20considerar%2Dse,ou%20interagem%20minimamente%20entre%20elas.

Souza LPS, Silva RKP, Amaral RG, Souza AAM, Mota EC, Silva CSO. Câncer infantil: sentimentos manifestados por crianças em quimioterapia durante sessões de brinquedo terapêutico. Rev Rene [Internet]. 2012 [Acesso em 14 ago. 2022]; 13(3): 686-92. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/rene/article/view/4010/3154.

Sousa GJB, Frota M, Mendonça FAC, Carneiro KM, Pereira JSD. Práticas lúdicas com crianças em tratamento Oncológico desenvolvidas pelo programa Anjos da enfermagem - núcleo ceará. RETEP – Rev. Tendên. da Enferm. Profis [Internet]. 2014 [Acesso em 08 ago. 2022]; 6(3): 1341-44. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/325273598_Praticas_ludicas_com_criancas_em_tratamento_oncologico_desenvolvidas_pelo_Programa_Anjos_da_Enfermagem_-_Nucleo_Ceara.

Gomes L, Ribeiro DC, Falbo A. Palhaçoterapia como prática de cuidado no ambiente hospitalar: revisão de literatura. Pernambuco, [s.d]. [Tese – Faculdade Pernambucana de Saúde]. Acesso em 09 ago. 2022. Disponível em:

https://tcc.fps.edu.br/bitstream/fpsrepo/1141/1/Palha%C3%A7oterapia%20como%20pr%C3%A1tica%20de%20cuidado%20no%20ambiente%20hospitalar_revis%C3%A3o%20de%20literatura.pdf.

Downloads

Publicado

31-01-2023

Como Citar

1.
Tajra RS, Rodrigues AAB, Costa AMA, Santos NO dos, Magalhães MT de C, Albuquerque G dos S. A Palhaçoterapia como prática integrativa ao cuidado do paciente oncopediátrico. RFPP [Internet]. 31º de janeiro de 2023 [citado 25º de junho de 2024];2(4). Disponível em: https://revistadeodontologia.facpp.edu.br/index.php/rfpp/article/view/55

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)